MAIS LIFETIME

Prós e contras da Fertilização in vitro

Fertilização in vitro, sim ou não?
Por: LIFETIME Brasil

A fertilização in vitro (FIV) é uma das técnicas mais eficazes de reprodução assistida. Criada na década de 70, ela consiste basicamente em extrair os óvulos e espermatozoides de um casal e realizar a fecundação fora do corpo da mulher, em um laboratório.

Não é de se estranhar que esse método tenha ganhado seus detratores: combinar a reprodução humana com uma tecnologia avançada suscita inúmeros questionamentos éticos, tanto no âmbito da ciência e da medicina quanto da religião.

Deixando as críticas de lado, quão conveniente é utilizá-la? Como qualquer coisa, a FIV tem seus pontos positivos e negativos. E mostramos alguns deles a você.

Primeiro, a técnica é de grande ajuda para os casais que não podem ter filhos, sem importar qual dos dois tenha problema de fertilidade. E embora a origem do problema seja desconhecida, a FIV continua sendo uma opção viável e uma solução possível.

Se a compararmos com outros métodos, como, por exemplo, a inseminação artificial, averiguamos que a fecundação in vitro é aplicável a uma gama mais extensa de casos, e a probabilidade de gerar uma gravidez de sucesso é muito maior.

Quanto aos seus inconvenientes, o primeiro que se destaca é o econômico. Os tratamentos hormonais, as intervenções cirúrgicas, a alta tecnologia utilizada e o treinamento árduo e a capacitação de profissionais especializados trazem, como resultado, um custo altíssimo, que poucos podem pagar.

Além disso, os hormônios dados à mulher aumentam a probabilidade de ela ter uma gravidez múltipla. Passar de não poder conceber a ficar grávida de gêmeos (e até trigêmeos!) não soa nada mal, não é mesmo? No entanto, isso traz um risco maior de ter um aborto espontâneo, uma gravidez ectópica ou um nascimento prematuro.


Elas voltaram com tudo! PEQUENAS GRANDES MULHERES! Toda segunda, 20h40.