UNREAL

Por que as mulheres traem e machucam outras mulheres?

Por: LIFETIME Brasil

Numa ideia geral, mulheres desconfiam das suas semelhantes, comparam, competem, sabotam e menosprezam "rivais". 

Muitas se dizem amigas de infância e melhores colegas até aparecer um homem na jogada.... Quem não tem uma história dessas para contar?

Se a arte imita a vida, o caso de Quinn e Rachel, de UnReal, é um exemplo disso. Os produtores do reality Everlasting vão ao fundo da alma feminina para buscar artimanhas dissimuladoras e manipuladoras que serão usadas em uma competição por um marido.

Competição e cooperação

Porém, existe algum motivo para as mulheres assumirem esse comportamento competitivo? Não seria mais fácil converter toda essa energia em cooperação?

Segundo a psicóloga Dr. Andra Brosh, em artigo publicado no site The Huffington Post, "a maioria de nós (não todas) não fomos criadas para honrar, acima de tudo, nossas amizades do sexo feminino. Fomos condicionadas para colocar "os nossos homens" em primeiro lugar, e ver outras mulheres como rivais, não como aliadas."

Três questões

Brosh também propõe três questões que cada mulher poderá refletir e explorar para buscar uma "cura" para a "conexão positiva do sexo feminino".

- Inveja: é o desejo insaciável de ter o que a outra tem, independentemente do resultado. É uma emoção muito humana, que pode ficar muito feia se não for controlada. Mulheres invejam a aparência da outra, roupas, cabelo, trabalho, corpo e homem. Como resultado, elas farão de tudo para permanecer no topo, incluindo trair as mulheres no seu caminho. Para contornar essa situação, o trabalho aqui é se sentir completa dentro de si e sentir-se satisfeita com os seus dons e beleza natural. Toda mulher é única. 

- Competição: as mulheres possuem um senso de competição entre elas, pois foram treinadas para se sentirem ameaçadas por suas semelhantes. Esta competição é mais forte em torno da busca de um homem. As mulheres são tão intuitivas e sábias quando se trata de homens, e isso mostra que elas são muito melhores em consultorias do que em competições. Poderíamos usar esta visão e perspectiva com nossas semelhantes, mas preferimos roubar os homens das nossas amigas do que ficar ao lado delas, em apoio da sua felicidade. O trabalho aqui é transformar a necessidade de competição em colaboração. Deixar uma mulher feliz é o caminho para o nosso próprio senso de felicidade.

- Auto-estima: quando as mulheres não se sentem merecedoras de algo, elas agem com desespero, deixando todo o seu potencial de lado. A construção de um forte senso de auto-estima tem início com o apoio de outras mulheres fortes. Isso é necessário especialmente entre as mais jovens que sofrem mais pressão de modelos culturais e sociais. O trabalho aqui é a olhar internamente para a auto-estima, além de ficar cercada de pessoas que apoiam a força e a beleza inerente a todas as mulheres.




Fonte: The Huffington Post

Imagem: Anetlanda/Shutterstock.com