MAIS LIFETIME

Pink Tax: a taxa que faz os produtos femininos custarem muito mais caro

As mulheres sentem o peso do machismo até na hora de comprar os produtos mais básicos que você possa imaginar. 

Não acredita? 

Pois vamos tomar como exemplo um simples aparelhinho com lâmina para depilação. 

Só pelo fato de ser rosa ou trazer uma linguagem direcionada ao público feminino, o produto já custa mais caro que os similares oferecidos aos homens. A diferença de preço pode chegar 20% de um para o outro.

O mesmo acontece com cortes de cabelo, roupas, preservativos, produtos de higiene e por aí vai.

Um sabonete líquido direcionado à mulher pode custar até 40% a mais do que um voltado para o homem. 

A constatação tem gerado revolta entre as consumidoras.

O mercado se defende dizendo que muitos produtos femininos têm mais ingredientes e que outros têm produção menor, o que justificaria a diferença de preço.

Outros analistas apontam a “maior disposição da mulher em pagar mais caro” como justificativa. 

A parte boa dessa história é que a tendência para os próximos anos é de equiparação de preços. Isso passa, acredite, por novos hábitos adquiridos pelo público masculino – que está mais exigente quanto aos produtos que usa. 

Só que, no caso, a tendência não é que os produtos femininos vão custar menos, mas que os masculinos vão custar mais. 


Nova temporada de PEQUENAS GRANDES MULHERES: DALLAS! Toda segunda, 22h. 


Fonte: Folha de S. Paulo