MOMENTO LIFETIME

As mulheres de Stephen King

Desde que publicou seu romance “Carrie”, em 1974, a fama de Stephen King como mestre do terror não parou de crescer. Vários de seus livros foram transformados em filmes, e suas imagens assombram há décadas os pesadelos de milhões de espectadores. Afinal, quer coisa melhor que tremelicar de medo assistindo a um filme do conforto do seu sofá? Abaixo, mostramos algumas das protagonistas assustadoras de seus filmes.

 

Dee Wallace Stone começou sua carreira em séries de TV e ficou famosa por sua participação em “E.T. – O Extraterrestre”. Em 1983, ela estrelou a adaptação cinematográfica do livro de Stephen King “Cujo”. Nele, Dee interpreta Donna Trenton, uma mulher que, no meio de uma crise matrimonial, tem que defender seu filho da perseguição violenta de um cão assassino.

 

A carreira de Shelley Duvall estava em ascensão, quando, em 1980, ela foi convidada para participar do filme “O Iluminado”, baseado no best-seller de Stephen King. Embora sua atuação no filme tenha sido realmente incrível (quem não se lembra das expressões de horror quando Jack Nicholson tenta destruir a posta com um machado?), a atriz sofreu um grave colapso mental após a filmagem.

 

Maria Bello, protagonista de “Big Driver”, deu seus primeiros passos no mundo do entretenimento em peças teatrais independentes e ficou conhecida por filmes como “Show Bar” ou o aclamado pela crítica “Marcas da Violência”. Em “Big Driver”, baseado na história de King, ela encarna uma escritora de ficção que, após ser atacada brutalmente na estrada, utiliza seus talentos de investigadora para buscar vingança.

 

Sissy Spacek, protagonista de “Carrie, a Estranha”, foi indicada ao Oscar em 1976 por seu papel no filme. A cena em que a adolescente coberta de sangue libera a fúria de seus poderes paranormais já faz parte do imaginário popular. Após o sucesso de “Carrie”, a atriz deu seguimento à sua carreira de sucesso, atuando e filmes como “JFK – A Pergunta que Não Quer Calar” e “Entre Quatro Paredes”.

 

O trabalho de Kathy Bates em “Louca Obsessão” é considerado uma das melhores atuações femininas da história do cinema, e lhe valeu um Oscar em 1990. Embora a atriz tenha participado de vários projetos após o sucesso do filme, o mundo sempre se lembrará dela na pele de Annie, a cruel enfermeira obcecada pelo escritor Paul Sheldon.

 

Rainhas dos gritos, cada uma com seu estilo pessoal e único, essas mulheres continuam aterrorizando os espectadores com suas atuações.

 

Qual é sua adaptação favorita da obra de Stephen King? Se quiser ver uma de suas grandes atrizes em ação, não perca “Big Driver”.