FEMINISMO

Muçulmanas usam o heavy metal para criticar regras impostas às mulheres

Não perca PROJECT RUNWAY. TODA QUINTA, às 22h.

 

Elas são adolescentes, chamam o sistema educacional do seu país de “antiquado e careta” e fazem um som pesadíssimo. Firdda, Euis e Widi são os nomes por trás do Voice of Baceprot, o VoB, uma banda jovem de heavy metal formada por três meninas com idades entre 15 e 17 anos. 

Até aí, nenhuma grande grande novidade. 

Mas e se a gente disser que o VoB é uma banda de meninas muçulmanas da Indonésia que, entre todos os símbolos roqueiros que tanto gostam, ainda assim ostentam, com orgulho, seus hijabs – o véu tradicional da cultura islâmica?

Com isso elas se tornaram uma sensação no seu país. 

Mas o caminho até o sucesso não foi fácil. Firdda Kurnia, de 17 anos, teve que desafiar sua família extremamente tradicional antes de obter permissão para mostrar sua voz para o mundo – e a autorização pra valer só veio depois que a banda começou a fazer sucesso pelo país. 

A Indonésia é uma das maiores nações muçulmanas do mundo. Por lá as mulheres ainda sofrem com a extrema desigualdade de oportunidades em relação aos homens. 

Nesse cenário, uma banda de Heavy Metal formada só por meninas traz esperanças de um país mais igualitário no futuro. Firdda, corajosa, diz que o heavy metal é a “maneira perfeita de protestar contra esse sistema”.


Fonte: Marie Claire 

Imagem: Youtube/Reprodução