MULHERES PROTAGONISTAS

Morre Linda Brown, a estudante que pôs fim à segregação racial nas escolas dos EUA

Linda Brown tinha apenas 9 anos de idade quando, em 1950, foi inscrita numa escola pública do Kansas e recusada logo em seguida. O motivo: a instituição só aceitava crianças brancas. 

Foi então que seu pai, o reverendo Oliver Brown, entrou com um processo na justiça que mais tarde culminou na histórica decisão do Supremo Tribunal dos EUA de pôr fim à segregação racial nas escolas públicas do país. 

A decisão, que ficou conhecida como "Brown vs. Board of Education", acabou com um sistema racista que regia as escolas americana desde 1896.

O Supremo argumentou, na época, que "separar as crianças negras de outras de idade e qualificações similares unicamente pela sua raça gera um sentimento de inferioridade quanto à sua posição na comunidade que pode afetar seus corações e mentes de um modo impossível de reverter".

Embora o caso de Linda tenha sido o mais icônico, o processo "Brown vs. Board of Education" agrupava várias outras queixas de estudantes rejeitados em escolas públicas por serem negros. 

Numa entrevista de 1985, Linda comentou a decisão histórica: "Eu penso no que essa decisão fez para nossos jovens, na eliminação desse sentimento de cidadania de segunda classe. Acho que fez com que os sonhos, as esperanças e as aspirações de nossos jovens sejam hoje maiores", acrescentou.

Na última segunda, dia 26, Linda morreu aos 76 anos de causas ainda não informadas. 


Você toparia casar com alguém que nunca viu? CASAMENTO À PRIMEIRA VISTA - toda terça, 22h50!


Fonte: G1 
Imagem: AP/Shutterstock