MAIS LIFETIME

Malala vai patrocinar projetos de educação de meninas no Brasil

Uma das grandes vozes do empoderamento feminino no mundo, a paquistanesa Malala Yousafzai, de apenas 20 anos, anunciou que irá investir em projetos sociais no Brasil. 

A jovem possui uma organização que incentiva a educação de meninas em todo o planeta. 

Em recente passagem pelo país, Malala anunciou que, por meio da Rede Gulmakai, três brasileiras receberão patrocínio para tocar seus projetos: uma em Pernambuco, outra na Bahia e outra em São Paulo.

Conheça as propostas que podem mudar a cara do país nos próximos anos: 

Pernambuco – Sylvia Siqueira Campos preside o Movimento Infanto-juvenil de Reivindicação (Mirim) no estado. O movimento, criado há quase 30 anos, promove os direitos humanos para combater desigualdades sociais. 

Bahia - Ana Paula Ferreira de Lima é membro da Associação Nacional de Ação Indigenista (Anaí) e trabalha para aumentar o número de meninas indígenas que terminam os estudos na Bahia.

São Paulo -  Denise Carreira coordena a Ação Educativa, uma organização que, entre outros projetos, desenvolve cursos a distância para treinar professores em temas relacionados à igualdade de gênero. A inciativa também elabora relatórios sobre a violência e a discriminação de gênero na educação.

O Fundo Malala também financia projetos similares no Afeganistão, Líbano, Índia, Nigéria, Paquistão e Turquia.

Malala comoveu o mundo quando, em 2012, foi vítima do Talebã por insistir em ir à escola em seu país-natal, o Paquistão. Ela levou um tiro no rosto e quase morreu. Desde então, virou a maior porta-voz dos direitos das meninas à educação. Ela é a pessoa mais jovem do mundo a receber o Prêmio Nobel da Paz.


Toda quarta, a partir das 21h30, tem episódio de tirar o fôlego de THE NIGHT SHIFT. Não perca!


Fonte: G1 | Imagem: JStone / Shutterstock.com