MAIS LIFETIME

Mais de 19 mil pessoas torceram para ela jogar num time de meninos – e deu certo!

Vivendo na pequena cidade de Vieiras,  no interior de Minas Gerais, Maria Alice, então com apenas 10 anos, nunca conseguiu ser parte um time feminino de futebol. 

Talentosa e apaixonada pela bola, se acostumou a jogar e competir entre os meninos. 

Até que veio a oportunidade de jogar o maior campeonato de sua vida. Animada, a garota deu duro nos treinamentos e até ganhou chuteiras novas, com bordado personalizado. 

Mas a alegria de Maria Alice não duraria muito. Informada pelo treinador do time que não poderia jogar entre os meninos – já que o torneio não previa equipes mistas – teve que lidar com a frustração e a dor de ter sido excluída. 

Só que a mãe da menina, inconformada com a injustiça, resolveu arregaçar as mangas e tentar reverter o problema. Eliane Barbosa foi à internet e criou um abaixo-assinado para garantir que filha pudesse jogar o campeonato. Em menos de dois, mais de 600 pessoas assinaram o documento. Eliane também criou a hashtag #MeninasTambémJogam”. 

Maria Alice

Com as assinaturas em mãos, Eliane foi atrás da organização do evento, mas os responsáveis bateram o pé e mantiveram Maria Alice fora do campeonato. O argumento é que o regulamento proibia que meninas atuassem em categorias masculinas e vice-versa. 

Mas Eliane não se deu por vencida. Reforçando sua campanha na internet, conseguiu mais 19 mil assinaturas. Ainda assim, a direção do Sesc-MG se manteve irredutível. 

 “A discussão sobre igualdade de gênero precisa chegar ao futebol. Muita gente se sensibilizou com a história da minha filha e abraçou nossa causa”, explica Eliane. 

Mais tarde, pressionada, a diretoria do Sesc acabou permitindo que Maria Alice participasse do torneio. O anúncio veio somente no último dia para inscrições. 

Ao tomar conhecimento da história da menina, a melhor jogadora do mundo, Marta, gravou um vídeo de incentivo para Maria Alice. 

Marta é a grande inspiração de Maria Alice. A pequena é louca por futebol desde os cinco anos de idade.


Toda quarta, a partir das 21h30, tem episódio de tirar o fôlego de THE NIGHT SHIFT. Não perca!


Fonte: El País | Imagem: Arquivo pessoal