MAIS LIFETIME

Lifetime promove o Mês de Conscientização Pelo Fim da Violência Contra a Mulher

Ao longo de novembro, conteúdos especiais serão exibidos no canal e nas plataformas digitais
Por: LIFETIME Brasil

A data de 25 de novembro foi escolhida pelas Nações Unidas para marcar o Dia Internacional do Combate à Violência Contra as Mulheres. Como forma de conscientização sobre o tema, o Lifetime irá exibir conteúdos especiais na TV e plataformas digitais ao longo do mês. Essa programação reforça o compromisso do canal em dar voz às vítimas e ajudar a prevenir qualquer tipo de intimidação e maus-tratos à população feminina.

Com a participação da ex-top model Luiza Brunet, da psicóloga social e influencer Giselle Prado, criadora do perfil @umsocorroameianoite, duas vítimas de violência contra a mulher, o Lifetime programou uma série de ações para alertar sobre esse crescente problema social. A iniciativa inclui conteúdos que serão exibidos nas redes sociais e nos canais das quatro marcas do grupo A+E Networks Brasil (History, History 2, A&E e o próprio Lifetime) e nos cinemas. Além disso, vídeos do projeto Um Socorro à Meia-noite também irão ao ar nas redes sociais e no canal Lifetime. A ação conta ainda com a participação da psicóloga Marília Palma (@psi.mariliapalma).

O History também participa do projeto abordando a origem do Dia Internacional do Combate à Violência Contra as Mulheres na seção Hoje na História, além de replicar o conteúdo do Lifetime sobre o assunto em suas redes. 

A data de 25 de novembro foi declarada pelas Nações Unidas como o Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher em 1999, em homenagem às irmãs Mirabal, também conhecidas como as Mariposas. Minerva, Patria e Maria foram assassinadas violentamente em 1960, na República Dominicana, por se oporem ao regime ditatorial do presidente Rafael Leónidas Trujillo (1930-1961). Antes do crime, Minerva, sabendo da ameaça que vinham sofrendo, afirmou: “Se me matam, levantarei os braços do túmulo e serei mais forte”. E suas palavras tiveram efeito: a morte das irmãs é considerada um dos principais fatores que levaram à queda do presidente. A data tornou-se um marco para o combate à violência contra a mulher.