MAIS LIFETIME

Conheça as Asgardas, guerreiras ucranianas que lutam contra o machismo

Diante do aumento de agressões sexuais e estupros na Ucrânia, e com a finalidade de poder se proteger desses abusos, um grupo de mulheres autoproclamadas descendentes de guerreiras amazônicas, uniram-se sob o nome de Asgarda para aprender artes marciais e kickboxing.

Acredita-se que esse movimento seja integrado por mais de cem mulheres e que, sob a liderança da fundadora Katerina Tarnouska, especialista em autodefesa feminina e campeã nacional de kickboxing, cerca de mil guerreiras já foram treinadas. O grupo, que conta com seus próprios locais de treinamentos e reuniões, é inspirado na arte marcial Combat Hopak e recebe instruções de Volodymyr Stepanovytch, professor de karatê. 

As Asgardas – nome dado por Tarnouska, inspirado em um livro sobre mitos escandinavos – definem a si mesmas como “uma organização que […] incentiva todas as mulheres a terem uma vida de pureza e perfeição, por meio de tribos autônomas femininas, porque as mulheres podem ter uma existência pacífica sem a influência dos homens”.

Atualmente, não se sabe se o grupo continua ativo ou se suas integrantes criaram células autônomas de combatentes, mas a realidade é que comunidades similares foram encontradas em locais como o Japão. 


Não perca a nova temporada de PROJECT RUNWAY: ALL STARS - toda quinta, 21h30! 


Fonte: Agente Provocador