MAIS LIFETIME

Câmera térmica de instalação artística revela câncer de mama em uma das visitantes

Uma simples visita ao museu Royal Mile, em Edimburgo, na Escócia, fez com que uma mulher descobrisse, por mero acaso, que estava com câncer de mama. 

Tudo começou em uma instalação de arte do local. Junto com a família, Bal Gill, de 41 anos, entrou numa galeria chamada Camera Obscura & World of Illusions  (algo como “Câmara Escura & Mundo de Ilusões”), que é equipada com câmeras que captam o calor do corpo. 

Quando viu a imagem de si mesma registrada pela câmera especial, Bal notou uma imensa mancha de calor no seio esquerdo. Não demorou a perceber que se tratava de algo incomum, dado que outras pessoas não apresentavam a mesma característica.

Em uma pesquisa rápida pela internet, descobriu que esse tipo de câmera pode ser usada para ajudar a diagnosticar diversos tipos de câncer. 

Bal então correu para o oncologista. Ela foi diagnosticada com câncer de mama em estágio inicial e já está aguardando a cirurgia para impedir o avanço da doença. 

Depois do susto, Bal entrou em contato com a administração do museu para contar como a visita à galeria mudou sua vida. 

“Enquanto passeava pelo museu, acabei na galeria que tinha câmeras termais. Assim como todo mundo, entramos e acenamos nossos braços para ver as imagens que criávamos. Foi então que notei um campo de calor (em vermelho) em volta da mama. Tirei uma foto e continuei minha visita. Dias depois, já em casa, eu me deparei com a imagem novamente, e isso salvou minha vida. Sem a câmera, eu jamais saberia!”, conta. 

O gerente geral do museu, Andrew Johnson, ficou surpreso ao saber que as câmeras usadas na instalação tinham esse potencial de detectar indícios de câncer. 

“Ficamos realmente emocionados quando Bal compartilhou essa história com a gente. O câncer de mama está muito próximo de mim e de muita gente aqui no museu”


Fonte: telegraph.co.uk | Imagens: Reuters