Maternidade

Amamentação móvel: facilidade ou obstáculo?

Por: LIFETIME Brasil

Todos os anos, do dia 1º ao dia 7 de agosto, é comemorada a Semana Mundial do Aleitamento Materno e, neste ano, o slogan é “Construindo alianças para proteger a amamentação: pelo bem comum, sem conflitos de interesse”. E para que tenha sucesso, assim como haja mais conscientização sobre a importância da amamentação materna, muitos atores estão envolvidos no projeto.

 

Na cidade de Nova York, nos Estados Unidos, foram criadas novas estações de amamentação móvel. Tudo isso para permitir que as mães possam alimentar seus recém-nascidos, pois ainda existem muitas pessoas na nossa sociedade que continuam enxergando o ato de amamentar como algo inapropriado, desagradável e, até mesmo, vulgar.

 

Para mudar essa cultura, segundo os porta-vozes do movimento, que tem feito com que muitas mães considerem difícil e até mesmo vergonhoso alimentar seus próprios filhos em público, e que as levou também a situações de os amamentarem às escondidas, as autoridades de saúde nova-iorquinas anunciaram a instalação de cinco novas salas de aleitamento móvel nos cinco condados da Grande Maçã.

 

A pergunta que fica no ar é se essa intervenção ajuda as mães a se sentirem mais confortáveis para amamentar ou, se, ao contrário, também faria parte da mesma cultura que considera esse ato obsceno, escondendo a mãe lactante em um espaço isolado, afastado dos olhos julgadores da sociedade.

 

Se amamentar o bebê é um ato natural, instintivo e que, segundo a legislação da maioria dos países do mundo, pode ser feito a qualquer momento e em qualquer lugar, então ajudar a mãe a ter privacidade fomentaria a aceitação da sociedade com relação à naturalidade da amamentação?

 

A recomendação da Organização Mundial de Saúde para as mães é que o recém-nascido seja alimentado todas as vezes que pedir, principalmente até os 6 meses de idade, uma vez que poderá satisfazer suas necessidades sempre e quando o solicitar. E quanto mais amamentar, mais leite a mãe produzirá. O ideal é proporcionar ao bebê amamentação exclusiva até os 6 meses e, depois, complementá-la com alimentos até os 2 anos de idade, aproximadamente – sempre com a orientação de professionais que estejam acompanhando a saúde e o desenvolvimento da criança.

 

E você, qual é a sua opinião sobre as mães amamentarem em público?