VALORIZE SEU TEMPO

Alerta: “Síndrome de Instagram” tem levado cada vez mais pessoas às clínicas de cirurgia plástica

Cirurgiões plásticos lançaram recentemente um alerta ao que eles estão chamando de “Síndrome de Snapchat e Instagram”: cada vez mais pacientes buscam ajuda profissional para ter uma aparência semelhante à que elas veem nos aplicativos, totalmente sem poros, sem rugas, sem expressão.

A Associação Americana de Cirurgia Plástica e Reconstrutiva reforçou o alerta com uma pesquisa, realizada em 2017, que mostra que 55% dos pacientes querem fazer intervenções cirúrgicas para tirarem selfies melhores. Esse número é 13% maior do que o registrado em 2016. 

Os médicos avisam que é impossível atingir uma aparência similar à que os aplicativos simulam.  Neelam Vashi, professor de Dermatologia, disse que os softwares de edição de imagem estão mudando para valer as expectativas dos clientes.  

“Às vezes o paciente diz: ‘eu quero que cada uma dessas rugas desapareça, e desapareça agora mesmo’, porque é isso que o aplicativo faz”, explica. “Eu não posso fazer isso, não é real”. 

A síndrome de Instagram se aproxima bastante do Transtorno Dismórfico Corporal, uma condição mental em que algumas pessoas desenvolvem obsessão por algum “defeito” que consideram ter na própria aparência. Um exemplo clássico é o de pessoas muito magras que se acham gordas.  

Vashi diz que o espaço que as redes sociais ocupam na vida das pessoas está levando a sociedade a se tornar cada vez mais obsessiva com aparência. “Isso pode provocar sentimentos de fracasso e tristeza, que mais adiante podem evoluir para condições mais sérias”. 


Toda quarta, a partir das 21h30, tem episódio de tirar o fôlego de THE NIGHT SHIFT. Não perca!


Fonte: The Hill